Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

O amor.

Uma vez eu vi, apesar de já ter lido e visto outrora, mesmo já tendo vivido... E concordei: Que o amor é a melhor coisa do mundo - quando se pode estar com a pessoa amada; do contrário, não há dor que ultrapasse aquela que é sentida pela falta do amor, de amor... Um vazio imenso, profundo, latejante, como se tivesse arrancado seu próprio coração, é assim. E é impossível dizerem, cientificamente, que o coração não tem nada a ver com o amor. Pois ele é o próprio local onde esse sentimento mora, é ali que se sente... a falta, a saudade, a dor da perda. É ele que bate quando vê - ou com outra pessoa -, ou quando não vê. Meu coração me dita palavras, maioria das vezes, tristes palavras, ele sente, mais intensamente, a dor que a alegria de amar. Ele grita o amor para que eu ouça, quase me forçando a escrever a dor dele. Engraçado, foi o que eu pensei, quando ouvi aqueles personagens falando que o amor era o feitiço mais poderoso, embora não vivamos num mundo de mágica, mas eu compreendi que…

Construção.

Imagem
Toda a argamassa no chão, e os tijolos por ela unidos. Os pedaços de pau que sustentavam as telhas, as quais, por sua vez, eram cobertas pelo gesso, para que tudo fosse mais bonito. Apesar de eu preferir mais feio, porque, assim, consigo sentir as gotas em dias de chuva, também gosto de ouvir o barulho, mesmo quando tem trovões. Pois tudo se foi ao chão, assim como devia ter ido a construção dentro dela. Viu aquela que estava ali fora desmoronada, deitada aos pés do asfalto, servindo de matagal, pois já até cresciam ervas daninhas, embora não houvesse flores, nem mesmo rosas. No interior, muita coisa tinha caído também, podemos dizer
que restava quase nada, mas ainda havia algumas que ela regava quando lembrava. E esquecia... mas gostava tanto de flores, de todas as cores, que não queria deixá-las morrer, ou de fome, ou de sede, - que é quase a mesma coisa quando se trata de seres com pétalas -, mas, muito menos, que caíssem por falta de amor. E as amava, em vez de deixar que seguiss…