Você de novo.

Não tinha rima mais nenhuma,
até que me apareceu
você,
mais uma vez,
pra eu saber o que rimar.
Mas acabou num instante,
todos os versos
bem distantes
silentes, pedantes, destonantes.
Teria para a vida inteira,
talvez,
mas que seriam essas estrofes,
o que falariam mais, além de você?
Cansaria, cansarias, cansariam,
então tudo foi embora,
e só ficaram palavras pobres, tristes, repetidas,
assim como esses dias, que assim serão.
Até que venha outro tema,
não tão forte,
talvez você de novo,
ou a saudade de você, ou a vontade de não te querer...
e o que é isso tudo, senão você?


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Botão de rosa.

um coração.