Tangerina.

Entrei no carro, mordi um pedaço do picolé. De tangerina. Dei partida, liguei o rádio, não tinha mais um rio na minha visão, talvez apenas um pequeno lago. Todo mundo cansa um dia de sofrer, eu pensei. Até mesmo eu, que gostava de me arriscar pelo amor. Sempre. Hoje não. Cheguei em casa cantando e pensando em coisas boas. Não deitei na cama, só troquei de roupa e vim viver essa vida, que, afinal, era minha (e de mais ninguém).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Botão de rosa.

um coração.