Nada disso vai mudar.

Eu acho que, às vezes, nós escondemos de nós mesmos as verdades que não queremos ver. Enfiamos dentro de nós as mágoas que não queremos sentir, guardamos na alma a tristeza que sabemos que não vamos conseguir suportar. Como se tudo fosse fazer um bem maior ficando dentro. Acumulando, acumulando, os dissabores, as amarguras, deixando intocado o que não queremos ver. Mas está bem na nossa frente. Eu acho que a gente devia conseguir enxergar. E enfrentar. E não ficar choramingando de um lado pro outro, uma lágrima aqui, outra ali. E não ficar remoendo, vendo a vida passar e querendo mudar o que sempre, comprovadamente, vai ser a mesma coisa. Mas por que só olhamos para os lados esperando uma resposta que nós já sabemos, só não conseguimos aceitar? E deixamos passar diversas outras perguntas, porque achamos que, pela eternidade, só queremos aquela resposta.  Mesmo que estejamos mentindo para nós mesmos. Só por medo de encarar a verdade.  Eu acho que a gente devia mesmo era olhar para dentro de si e ver a quantidade de coisas que vamos guardando e deixando para depois. Um depois que nunca vai chegar. E ir aceitando o fato de nem tudo ser como você quis, mesmo que nada tenha sido assim. Eu acho que a gente devia compreender e sofrer o quanto que fosse. Tudo de uma vez. Para sempre. E seguir adiante com um novo objetivo. E deixar a vida prosseguir. E não ficar esperando que alguém mude, que algo mude, que você mude, quando você sabe que nada disso vai mudar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Tangerina.

Botão de rosa.