Light.

Eu quis dizer: - Tia, chega de a vida ser light! Chega de um amor light, uns beijinhos lights, uns agarrados lights! Light é algo que não é intenso. Por que querer que a vida não seja intensa, ainda mais quando já se viveu o bastante para saber que as coisas não voltam? Quer dizer, o tempo não volta. Ele só vai para a frente. Um relacionamento light, com um ex-namorado. Por que, então? Se não é para ser, que não seja. Mas não que seja pela metade. Light. Se a gente se encontra e gosta, que seja verdadeiro, real, algo que possa mudar alguma coisa. Se for para ser a mesma pessoa, que nem seja. Que seja forte, que o coração bata forte, que exista vontade de amar. Ninguém se força, claro. Mas que seja viver. Que a gente se doe com coragem, que a gente não fique pensando em como pode fracassar. Que a gente queira aproveitar nem que seja um dia, uma noite, uma semana, um mês. Mas por inteiro, não só um pedaço ou uma metade. Completamente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Tangerina.

Botão de rosa.