O ano termina...

Fim de ano é sempre aquela coisa não é? Mil planos pro ano novo, a gente fica avaliando o que fez de errado, o que aprendeu, o quanto cresceu no ano que passou. E todo ano é a mesma coisa, pelo menos desde que eu comecei a ter capacidade pra entender que à meia-noite dia 31 de dezembro acontecem muitas coisas. E que não é como uma mágica, deu meia-noite, e a gente virou outra pessoa, mas que é um processo, e que dura o ano todo. Essa questão de ano eu acho que é só um marco temporal, uma coisa que criaram pra gente se organizar, pra sabermos nos encontrar no tempo, pra recomeçarmos uma nova vida, quem sabe. Pra sermos diferentes.
2010 foi um ano marcante pra mim. Aconteceu tanta coisa que não caberia em um post, nem em canto nenhum, nem eu lembraria ou conseguiria contar tudo. Nem ia querer contar! Acho que foi assim O ano da mudança. Tudo que aconteceu comigo me fez crescer, me fez aprender muita muita coisa. Eu vou ficar eternamente grata a este ano.
Grata por tudo que eu vivi, por todas as pessoas que eu conheci, pelos erros que eu cometi. Eu nunca errei tanto na minha vida, e nunca aprendi tanto. A coisa mais certa que dizem é que o melhor jeito de aprender é errando,aliás, talvez não seja o melhor, mas é o mais eficiente, porque é como a gente erra e diz : nunca mais eu faço isso! E não faz.
E com os erros, vieram o perdão e a sabedoria. Com os erros, veio a tolerância. Porque eu aprendi a ser tolerante com as pessoas, aprendi a compreender os motivos delas, tudo baseado no que eu errei. Aprendi a ser menos preconceituosa, e aprendi, acima de tudo, a não julgar ninguém. A não julgar por uma atitude, por uma palavra dita, por um comportamento. Que só Deus pode julgar, e que eu não sou nada nem ninguém pra apontar o dedo para os outros e julgá-los isso ou aquilo. Enfim, eu sou uma pessoa muito mais compreensiva por causa de 2010.
Eu fui muito mais eu, falei muito mais o que eu quero, o que penso, fiz muito mais o que eu tinha vontade. Esqueci de fazer as vontades dos outros e fui cuidar das minhas. Paguei por isso, eu sei, mas, com certeza, eu fui muito mais feliz. Deixei muita coisa pra trás, muitos amigos, muitos valores... E os que permaneceram, acredito eu, eram os que realmente importavam. Alguns eu perdi por descuido, mas eles vão entrar na lista de   "devo fazer em 2011", vão estar no rol das reconquistas. E eu os terei de novo, porque antes tarde do que nunca. E outros eu perdi porque nunca foram meus. E eu demorei a perceber isso, demorei até mais do que eu podia, mas eu percebi e nunca mais eu vou atrás, porque não me fazem mais falta, nenhum pouquinho.
Superei dores de cotovelo, deixei de pensar em fulaninho, esqueci de vez o passado. Não que ele não me atormente ainda, mas é como uma coisa tão distante, que não me tira o sono, não me faz perder mais que 5 minutos do meu dia. Eu não estou mais remoendo meu passado, nem querendo que ele volte pra eu consertá-lo. Isso foi uma vitória, e das maiores. Talvez vocês não entendam, mas pra mim isso foi vencer a mim mesma, foi uma das conquistas mais importantes da minha vida. Uma besteira dessa, que me atormentava tanto. E resolvi tão rápido. Parei e disse pra mim, pra que eu ouvisse : Agora deu, pode esquecer essa história. Força de vontade e aqui estou eu, pronta pra outra. E mais pronta que nunca.
Magoei pessoas, alegrei pessoas. Ri e chorei. Lavei minha alma.
Não cumpri metade da minha lista de 2010, não fui pra academia com assiduidade, não me alimentei bem, não fiz doações pra crianças carentes, não parei de comer a boca... mas em 2011 eu consigo. (ou não)
O que eu quero dizer é que eu fui feliz. E, talvez, por causa dos meus 18 anos. E talvez digam que felicidade não é isso. E eu vou dizer que isso é só uma parte do todo que me faz sorrir, mas que, possivelmente, vai ser uma parte pequena quando começar 2011  e que outras coisas virão pra completar esse todo, eu espero que boas e que, se ruins, me façam mudar, mas mudar pra melhor-sempre!
Feliz 2011 pra todo mundo que leu minhas besteiras neste ano! Tomara que eu seja menos pessimista ano que vem, e que eu pare de falar sempre sobre a mesma coisa, ne?! aheuhaueahueh. Muita paz, que é o que a gente mais precisa e muita felicidade, que é o que a gente mais quer. E muito amor, porque a gente não vive sem ele. Muito amor pra todos vocês!

O ano termina, mas nasce outra vez.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Botão de rosa.

um coração.