Espera.

Então sentou na grama molhada e esperou em silêncio, ouvindo o canto dos pássaros. Esperou sem pressa, deitou-se e ficou arrancando a grama, sentindo a terra nos dedos, limpou-os no vestido florido e esperou mais. Esperou uma hora, duas horas, três horas. Sentiu-se só e começou a se sentir desesperada. Já era quase noite,mas não aparecera nenhuma estrela ainda. Esperaria que aparecesse uma estrela, sempre fazia um pedido pra primeira estrela que aparecia no céu. E esperou. Como sempre esperava. E achou que pudesse esperar pra sempre, mas a noite caiu, e ela sentiu medo. Medo de ficar pra sempre só, medo de que não aparecesse nenhuma estrela. E não apareceu.
Esperou que ele fosse, esperou com todo o amor do mundo nas mãos. Pra dar quando ele chegasse. Esperou com o sorriso mais feliz, com a paixão mais intensa. E ele não foi.
Levantou-se, não olhou pra trás e foi embora. Não fez mais pedido a estrelas, nem confiou a elas suas promessas. Não esperou por ninguém nunca mais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Botão de rosa.

um coração.