Como se.

Como se a gente pudesse simplesmente pegar as coisas e jogar no lixo : as memórias, o amor, os sorrisos, as palavras, as mágoas, as desculpas, as explicações, as satisfações. Como se fosse possível arremessar tudo pela janela. Assim seria muito fácil. Seria fácil não olhar para trás, não ficar triste, não se arrepender. Seria extremamente fácil se explicar, se desculpar, se livrar das dores, dos remorsos, dos rancores. Se assim fosse, nós só pegaríamos o que não nos convém e trocaríamos pelo que nos satisfaz agora. Sem pensar, sem deliberar, sem saber no que pode acontecer. Se acontecesse, então pronto, segue em frente e deixa isso para trás. Como se o passado não te perseguisse no futuro, como se a sua luta diária e interna para esquecer as coisas fosse em vão e tudo pudesse se apagar num piscar de olhos. Só porque você quer, só porque você precisa. Ah se tudo fosse assim tão simples, como se a vida não fosse te deixando marcas quase eternas, que vão te seguindo de um modo quase insuportável, como se os resquícios do que foi vivido não ficassem impregnados na sua pele, não ficassem te lembrando do que aconteceu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Tangerina.

Botão de rosa.