Então.

Bom, então eu comecei a sentir falta dos seus braços e das suas pernas. Tão educados e comportados. E das suas mãos. Tão carinhosas.  E da sua respiração falha e sonolenta. E da sua preocupação e da sua sinceridade. Eu senti falta da sua voz e da sua risada. E dos seus planos para o futuro. E do quanto você, mesmo sem me conhecer, confia tanto em mim. Até mais que eu.  E do quanto você queria fazer com que eu me sentisse bem e do quanto você conseguiu isso. Tanto que eu sinto falta agora. Tanto que eu penso em você agora. E queria você agora. Nem que fosse só pra nós cantarmos uma música juntos. Ou rirmos da besteira alheia. Tanto que eu fiquei assim, com saudade dessas coisas.

Comentários

  1. Pô meline..belo texto! Não sabia que você escrevia. Depois quero trocar uns textos com você. Parabéns mel

    ResponderExcluir
  2. Brigada, Dudu! vc tem um blog também? ou não publica? quero ver depois mesmo =) bjs

    ResponderExcluir
  3. eu tinha um, sabe.. mas era bem meu mesmo! tenho vários uma penca de textos comigo. Depois quero te mostrar. beijo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Tangerina.

Botão de rosa.