a verdade.

O problema é que as pessoas acham que a verdade machuca. A verdade é que a verdade machuca mesmo. Mas a mentira dói. A verdade rasga a pele, a mentira dilacera, fere até o osso, é muito mais amarga, impiedosa, traiçoeira, vil, covarde, violenta... A verdade, quando te atinge, te faz sofrer, mas depois vai amenizando a dor, como se fosse passando uma pomada por cima. A mentira não, ela não faz uso de pomada, parece que vai é dilacerando mais e mais a carne. Porque a verdade, com o tempo, vai amenizando as coisas, vai te fazendo ver como foi muito melhor que ela se revelasse ou que fosse revelada, mas a mentira, mesmo que seja revelada, te faz um mal danado, te faz querer que ela continue sendo mentira, quando já se tornou verdade. E essa transformação de mentira em verdade é que mais te faz mal, é quando você assume que sabe que era tudo mentira e que é verdade que era mentira. E qual a lógica disso? É que, afinal, a verdade deve ser dita, porque ela machuca, mas é digna, ela não é boa, mas é necessária. E diga com certeza de sua totalidade, porque meias-verdades são mentiras e, como eu já disse, estas ferem bem mais profundamente. Quando alguém quer mentir por medo de magoar, de fazer sofrer, chorar, com o intuito de proteger, engana-se muito a respeito desse cuidado ao outro, porque proteção maior você dá quando se mostra de verdade e não quando priva o outro de saber o que pensa, o que faz, o que sabe, o que sente... Compreende-se uma verdade feia, mas repugna-se uma mentira bonita. Pelo menos assim me disseram as pessoas. Não é todo mundo que prefere o belo.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Eu vou contigo.

Botão de rosa.

um coração.